top of page
Informações médicas

Planejamento Terapêutico

O planejamento do tratamento para uma lesão na mama, especialmente no caso do câncer de mama, é uma jornada personalizada, adaptada exclusivamente para cada pessoa. Não existe uma abordagem única e o tratamento cirúrgico, embora seja um pilar importante, não é necessariamente o ponto de partida.

A seguir temos os passos inicias para a análise e planejamento do tratamento.

Como é feito o planejamento do tratamento

Entendemos que cada indivíduo é único, e é por isso que consideramos diversos fatores ao planejar o tratamento. Não estamos tratando apenas uma doença; estamos cuidando de uma pessoa, e essa abordagem é central em nossas consultas. Além dos aspectos relacionados à doença, como estágio, tipo de tumor e extensão, levamos em consideração a história familiar, contraindicações devido a outros problemas de saúde e, acima de tudo, seus desejos e preocupações.

Nosso compromisso é fornecer o tratamento mais atualizado e eficaz, mas todas as decisões são tomadas em parceria. Acreditamos na importância de trabalhar juntos, paciente e equipe médica, para determinar o melhor caminho a seguir. Sua jornada de tratamento é única, e estamos aqui para apoiá-la em cada passo.

Estadiamento

Você já ouviu falar em estadiamento no contexto do câncer de mama? É um processo fundamental para entender a extensão da doença e determinar as melhores opções de tratamento. Vamos explorar como isso funciona e o que significa para o seu prognóstico.

O estadiamento envolve a avaliação minuciosa do câncer de mama, considerando o tamanho do tumor, o estado dos gânglios linfáticos na axila e a presença de metástases em órgãos distantes. Em outras palavras, ele nos ajuda a entender o quão avançada a doença está e quais passos devemos seguir.

Utilizamos um sistema chamado TNM para classificar os diferentes estadios. O 'T' se refere ao tamanho do tumor, o 'N' indica se os gânglios linfáticos na axila estão afetados ou não, e o 'M' revela se há metástases. Essa abordagem nos permite categorizar o câncer de mama de forma precisa, o que é essencial para orientar o tratamento mais adequado.

Exames específicos (de imagem, bioquimicos, patologia) podem ser solicitados, dependendo das características do seu caso, para fornecer uma avaliação completa e precisa do estágio da doença. Portanto, o estadiamento é uma parte crucial do nosso processo de compreensão da sua situação e da sua jornada de tratamento. Trabalhamos juntos para garantir que você receba o cuidado mais personalizado e eficaz em sua luta contra o câncer de mama.

Tomografia
Imunohistoquímica

Imunohistoquímica

O câncer de mama não é uma doença singular; na verdade, ele se apresenta em diversos tipos. A distinção entre esses tipos reside em suas características genéticas e imunohistoquímicas. Os subtipos genéticos mais comuns incluem Luminal (A e B), Her2 e Basaloide (triplo negativos). Esses tumores exibem variações significativas em termos de comportamento biológico e genético, resultando em diferentes graus de agressividade. Além disso, a resposta ao tratamento medicamentoso varia de acordo com a classificação do câncer. Portanto, a classificação adequada desempenha um papel crucial na escolha dos tratamentos medicamentosos e cirúrgicos mais apropriados.

É importante entender que o câncer de mama não pode ser abordado como uma única entidade. Cada tumor possui características únicas que influenciam sua resposta aos tratamentos.

A avaliação imuno-histoquímica é um procedimento essencial, pois analisa os receptores encontrados nas células tumorais. Essa avaliação normalmente inclui a análise de quatro marcadores: receptor de estrogênio, receptor de progesterona, Her2 e Ki67 (indicador da taxa de proliferação celular). Realizar essa avaliação é fundamental para determinar o tratamento mais adequado para o seu caso.

bottom of page