top of page
  • Foto do escritorLeonardo Nissen

Terapia-Alvo para Doenças HER2: Uma Nova Era na Luta Contra o Câncer de Mama

Olá,


Hoje, vamos mergulhar em um tópico crucial na batalha contra o câncer de mama: a terapia-alvo, especialmente voltada para doenças HER2. Se você está buscando entender melhor como essa abordagem revolucionária está transformando o tratamento e melhorando os prognósticos para pacientes com câncer de mama HER2-positivo, você está no lugar certo.

Para começar, vamos esclarecer o que significa HER2. HER2, ou receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano, é uma proteína encontrada na superfície das células do câncer de mama. Em pacientes cujos tumores expressam altos níveis de HER2 (conhecidos como câncer de mama HER2-positivo), essa proteína desempenha um papel crucial no crescimento e na disseminação do câncer.

A terapia-alvo é uma abordagem inovadora que visa diretamente essas proteínas específicas, interrompendo suas atividades e impedindo o crescimento e a disseminação do tumor. Para doenças HER2, a terapia-alvo mais comumente utilizada é o trastuzumabe, um medicamento que se liga à proteína HER2, bloqueando seus sinais de crescimento e estimulando o sistema imunológico a atacar as células cancerígenas.

Além do trastuzumabe, outros medicamentos de terapia-alvo, como o pertuzumabe e o trastuzumabe emtansina (T-DM1), também têm demonstrado eficácia no tratamento do câncer de mama HER2-positivo, seja em combinação com quimioterapia ou como terapias isoladas.

Uma das grandes vantagens da terapia-alvo é sua capacidade de ser altamente seletiva, atacando especificamente as células cancerígenas sem afetar as células saudáveis ao redor. Isso significa menos efeitos colaterais adversos em comparação com tratamentos mais tradicionais, como a quimioterapia.

Além disso, a terapia-alvo tem demonstrado resultados promissores em estudos clínicos, com muitos pacientes respondendo positivamente e experimentando uma melhoria significativa em sua qualidade de vida e sobrevida.

Um dos estudos mais conhecidos que demonstrou o benefício do trastuzumabe na sobrevida de pacientes com câncer de mama HER2-positivo é o estudo HERA (Herceptin Adjuvant), publicado em 2005 no New England Journal of Medicine.

Neste estudo, realizado em pacientes com câncer de mama invasivo inicial HER2-positivo, foi investigado o efeito do trastuzumabe como terapia adjuvante após a cirurgia, em comparação com nenhum tratamento adjuvante. Os resultados do estudo mostraram que o trastuzumabe reduziu significativamente o risco de recorrência do câncer de mama e melhorou a sobrevida livre de doença.

Além disso, um acompanhamento mais longo do estudo HERA, publicado em 2011, confirmou os benefícios a longo prazo do trastuzumabe, mostrando uma redução contínua no risco de recorrência e morte em pacientes tratadas com trastuzumabe em comparação com aquelas que não receberam tratamento adjuvante.



Esses resultados destacam o papel crucial do trastuzumabe na melhoria da sobrevida e no tratamento do câncer de mama HER2-positivo, fornecendo uma base sólida para sua inclusão como parte dos padrões de tratamento adjuvante para esses pacientes.

O estudo APHINITY avaliou a eficácia da adição de pertuzumabe ao tratamento padrão com trastuzumabe e quimioterapia adjuvante em pacientes com câncer de mama HER2-positivo em estágio inicial. Os resultados do estudo demonstraram que a adição de pertuzumabe levou a uma redução adicional no risco de recorrência da doença em comparação com o tratamento padrão apenas com trastuzumabe e quimioterapia.

Além disso, o estudo mostrou que a combinação de trastuzumabe e pertuzumabe foi bem tolerada, com um perfil de segurança geralmente consistente com o observado em estudos anteriores.

Esses resultados foram significativos, pois forneceram evidências adicionais sobre os benefícios da terapia dupla com trastuzumabe e pertuzumabe no tratamento adjuvante do câncer de mama HER2-positivo em estágio inicial, oferecendo uma opção de tratamento mais eficaz para esses pacientes.

Estudos como o APHINITY continuam a impulsionar avanços no tratamento do câncer de mama HER2-positivo, destacando a importância da terapia combinada de terapias-alvo para melhorar os resultados clínicos e a sobrevida dos pacientes.

No entanto, é importante destacar que cada paciente é único, e nem todos os tratamentos são adequados para todos os casos. É essencial que os pacientes discutam suas opções de tratamento com suas equipes médicas, considerando seus perfis individuais, estágios da doença e preferências pessoais.

Em resumo, a terapia-alvo representa uma nova era na luta contra o câncer de mama HER2-positivo, oferecendo esperança e oportunidades de tratamento mais eficazes e menos invasivos. Com mais pesquisas e desenvolvimentos contínuos nesta área emocionante da medicina, estamos mais perto do que nunca de alcançar nosso objetivo final: acabar com o câncer de mama de uma vez por todas.

Se você ou alguém que você conhece está enfrentando o câncer de mama HER2-positivo, não hesite em procurar informações e apoio. Juntos, podemos enfrentar essa doença e trazer uma nova luz de esperança para o futuro.



Até a próxima,

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page